I´m here!

41 horas desde que me despedi do meu quarto e ainda não cheguei a Tel-Aviv. Rio-Madri, ok! Com exceção da uma hora de atraso do chato do meu lado, que aparentemente não sabe que se uma pessoa está de olhos fechados por mais de milésimos de segundo, não está piscando. Fala sem parar…

Chego em Madri, aqueles inocentes 60 minutos de atraso revelam-se um quase pesadelo. O overbooking da Ibéria faz com que não seja possível embarcar para Tel-Aviv a tempo. Ok, sem problemas. Tenho 12 horas para curtir um lindo dia em Madri e pego o próximo vôo, ás 23hrs. Pergunto pros locais dicas do que fazer (depois de muito me questionar se deveria ou não) e um israelense me reconhece do avião. Então, lá estamos, eu e Evian no metrô de Madri, indo para o Parque Del Retiro. Delícia de sol na grama!

E meus pés felizes e marcados…

Depois, Museo Del Prado e meu quadro favorito: Jardim das Delícias, de Bosch. Aparentemente, o israelense está mais preocupado em me convencer que eu deveria casar com um judeu do que em conhecer a arte sacra espanhola. Mas tudo bem, no pasa nada. Me divirto.

Começa minha confusão mental com línguas. Já estou confundindo tudo… Entonces, voltamos para o aeroporto. Check-in. Ok. Gate. Ok. Quadro de vôos: Tel Aviv – cancelado. Vazamento de combustível na pista do aeroporto Bem Gurion e nenhum vôo chegará, numa previsão de 3 dias. FUCK! I´m stuck here…

Ganhamos um voucher pra um hotel e a saga continua. São meia noite e a esse ponto já não faço idéia de que horas são no Brasil. Só sei que não durmo há séculos!Conheço mais israelenses. E a cada um que conheço, acho que é amigo de infância dos outros. Pergunto algumas vezes se eles se conhecem desde o colégio, para diferentes grupos de novos amigos. Acabaram de se conhecer. E eu me torno a única que não fala hebraico, no meio de uns 12 israelenses. Todos ótimos, mas falando uma língua estranha, da qual só entendo palavras avulsas.

Preciso pegar minha mochila de novo.Não sei quantos dias mais tenho aqui. 2AM em Madri, aeroporto vazio, uma penca de israelis esperando para pegar suas malas e levar pro hotel. Boto Matisyahu no speaker, para agradar laicos, ortodoxos e reformistas.

Mochilão nas costas, yalla. Vamos pro hotel. 4 pessoas desconhecidas, 3 camas. Ai, ai, ai… Mas nem tempo de deitar. Banho, tiro all-star e boto havaianas, telefonamos para Iberia, back to the airport. De mochilão nas costas. Aparentemente, as coisas se regularizaram em Tel-Aviv. Já temos ticket para o vôo das 11PM, mas eram umas 4AM e todos os 2 vôos antes do nosso estão lotados. Com muita calma, apesar de nossa estafa, conseguimos um vôo ás 10AM para Barcelona e de lá, um da El-Al á 1PM. Café da manhã no Mac Donalds (só eu mesma pra comer iogurte e maçã), soneca entre as cadeiras, off we go!

Adormeci antes que avião decolasse e foi um parto pra conseguir acordar quando pousou em Barcelona. 30 horas sem dormir. Pareço a Wandinha Adams.

Em Barcelona, trocar o boarding ticket, que é da Ibéria, por um da El Al. Check. Perguntas sobre que sinagoga freqüento e qual o nome do meu rabino. Ok, wait here. You´ll have to open your bag with us. Ai, que saga. Espero me chamarem, desço para uma salinha secreta e abro minha esturricada mochila. Para minha sorte, Avi, que acompanhou minha abertura de mala, nasceu no mesmo dia e ano que eu e ama o Rio. Mas mesmo assim, tenho que tirar tudo de dentro. Aproveito pra tomar meu floral, já que não posso levar líquidos na bolsa de mão. Pergunto pra Avi e TODOS os passageiros precisam passar pelo mesmo processo. Wow! Coitados dos que respeitam shabat. Hoje é sexta feira e, se não embarcarmos em 1 hora e meia, eles não podem voar.

Subo, começo a escrever. “Carolina, Keren, Shifra (eles me chamam de todos os nomes possíveis), yalla! We´re boarding.” Israelenses podem ser fedidos, mas fazem acontecer quando o shabat está em jogo.

Paro de escrever pra embarcar. Retomo agora, no avião mais gigante que já entrei. Acho que como muitos vôos foram cancelados, eles precisaram colocar muita gente voando hoje.

Enquanto escrevo, numa poltrona não reclinável, com os únicos 2 lugares vazios do vôo na minha direita, na telinha a minha frente vejo todas as imagens que estudei por anos na aula de História Judaica: muro das lamentações, shuk árabe, mar morto, Masada. Estou indo pra Israel.Morta de cansaço e fome. Mas segura.

Porque isso aconteceu comigo? Ainda não sei, nem sequer sei se vou saber. Mas certamente me fez entender algumas coisas. Se eu não tivesse feito novos amigos, estaria absolutamente sem rumo. Sem enfrentar tudo com humor, teria esquecido sobre a gratidão que me invadiu nos últimos dias. E entendi que me sentirei em casa nesses próximos meses. Todá Rabá, chaverim.

Preciso desligar o computador agora. Vamos decolar. O frio na barriga já não existe mais. A fome não dá espaço pra ele. Começou minha saga.

Esse post foi publicado em na saga. Bookmark o link permanente.

8 respostas para I´m here!

  1. Ana B. Galeão disse:

    Começou bem, Carola!
    Tô aqui te acompanhando na leitura e na energia.

  2. Ana Loureiro disse:

    Seu texto está lindo,uma leitura gostosa, leve! Estou adorando!!!!!!

  3. Ana Loureiro disse:

    Adorei seu texto!!!! Vamos , força!!!!

  4. Paulinha disse:

    Ai perrengues..o que seria da gnt sem eles?? heheh
    beijo amore!

  5. astromélia disse:

    SO PROUD OF YOU!
    lindo texto. Cada vírgula, cada palavra provoca um sentimento que só você consegue despertar em nosotros🙂
    Sinto o cheiro que sai das suas fotos.
    Voa!

  6. camille disse:

    carol, adorei a parte em q vc diz q se sentira em casa nos proximos meses…
    sempre tive mania de puxar papo com qq pessoa q passa por mim falando hebraico…
    acho o maximo esta sensacao de nos sentirmos parte de um todo simplesmente pq alguem falou hebraico… bom pelo menos é assim q eu me sinto…
    bjs!!!!!!!!!!!

  7. Paula Villoria disse:

    Lindo texto, lindas fotos, linda amiga…..

  8. denise bergier cardoso disse:

    Loli,
    amei a “moral da história”, um final que é o melhor começo, que explica pra que tantos preparativos. Vou procurar qual espécie é a evolução da coruja. Neste ritmo, só mesmo cocriando um novo símbolo de orgulho! beijos, mamãe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s