Tristeza que vem da falta. Falta é pra quem tem.

Hoje eu fiquei triste. Tristeza daquelas brabas, que traz um gosto específico na saliva, misturado ao salgado das lágrimas gordas que despencam dos dois olhos. Foi depois de uma aula de yoga.  Era como se a prática tivesse despertado em mim algo adormecido. Adormecido, não. Enterrado. Percebi que não me permiti ficar triste em nenhum momento nesses quase sete meses. Não que algo em particular tenha trazido essa sensação. Desde que cheguei da viagem em família pra Tailândia, só tive prazeres: almoço de thanksgiving com direito a mini cerimônia “a que você é grato nesse momento?”, aulas de yoga pra tirar toda a ferrugem das últimas semanas, cachoeira lindíssima (e tão poluída que a simples  ideia de mergulhar já fazia minha pele pipocar com micoses), passeios de moto em vilarejos típicos, conversas e refeições deliciosas, páginas inesquecíveis no finalzinho do livro que estou lendo, tardes intermináveis na piscina, excursão noturna aos campos de arroz do vizinho.

Mesmo com tudo isso, a sensação de falta permanece. Falta e não vazio, que fique claro.

Sinto falta da família, do clima do Rio, de entender cada pedacinho daquela cultura. Sinto falta de falar minha língua, de ir no cinema, de alugar um filme idiota numa sexta à noite, pedir uma pizza bem gordurosa e adormecer no sofá sem escovar os dentes nem lavar o rosto. Sinto falta de uma mesa de bar falando baboseira com as meninas. Sinto falta de sair de uma aula yoga a noite, fazer sauna e ir dormir relaxada. Sinto falta da praia no Arpoador. Sinto falta do verão carioca e do Circo Voador. Falta de pensar “com que roupa eu vou naquele show de amanhã à noite?”. De arrumar meu quarto às 3 da manhã. Do meu grupo de meditação. Sinto falta. Sinto.

Mas aqui tenho amigos que falam a mesma língua que eu – mesmo que tudo seja falado em uma língua que não é a minha. Tenho uma piscina no quintal de casa. Orquídeas mil no mesmo quintal. Uma cultura com tanto significado que é possível entender nem 10% do que se passa. Estranhos que ao cruzarem comigo na rua, não me olham. Enxergam-me e me cumprimentam com um sorriso genuíno.Tenho um caminho que enche meus olhos de beleza a cada dia que vou pro trabalho. Campos de arroz, de flores e um vulcão encoberto por nuvens espessas. Tenho pessoas queridas vindo me visitar. Tenho segurança. Não me preocupo de levar meu computador e minha câmera comigo na moto pra onde quer que eu vá. Minha prática de yoga nunca foi tão profunda. Minha alimentação, tão saudável. Minha meditação, tão intensa. Meu eu, tão eu.

Tenho tanta coisa… E direito de tristeza, tenho?

Começo a pensar na minha volta. Pela primeira vez. Daqui a dois ou cinco meses. Ainda não sei. Mas eu volto. E começo a me programar psicológica, financeira e emocionalmente para isso. Muito preparo pela frente.

a gente sente mais

Esse post foi publicado em no coração e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Tristeza que vem da falta. Falta é pra quem tem.

  1. Sofia disse:

    Abraço apertado minha querida Carol!

  2. Rico disse:

    Bem vindo ao dilema do expatriado. A eterna divisao entre as raizes familiares e culturais versus a certeza que existem lugares melhores pra se viver nesse mundao.
    Googa ai um quote do Mark Tway sobre travel and bigotry (se eu nao te passei isso antes…) recebemos esse quote junto com a conta do Zaza Bistro, coisa de um mes antes de embarcar de saida do Rio… How convenient…

  3. Papai disse:

    The best is yet to come.
    Hoje li todos os tres ultimos blogs (tinha me prometido que so ia ler de novo quando chegasse da viagem).
    Fiquei novamente orgulhoso.
    Vejo voce se aproximando do caminho do meio, o tao, o equilibrio, conhecendo extremos xiitas mas vendo, na compaixão (e não na condescendência arrogante), a existência do diferente.
    Talvez voce ainda não perceba, mas é mais fácil para quem vê de fora.
    E nesta linha, a tristeza serve para identificar a felicidade.
    Beijos

  4. Mariana Maia disse:

    Carolll, adorei, apesar de estar no rio, me identifiquei! Quando vc voltar, vamos marcar muitos eventinhos pra por o papo em dia, e quero saber mais sobre essa experiencia aí!!! Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s