Delícia de detox

Era pra ser um diário de bordo pessoal, mas tanta gente perguntando do detox… resolvi compartilhar.

Detox- day 2

No dia 1 nem passou pela minha cabeça escrever. Fome, cansaço físico e mental. Fui trabalhar e na segunda metade do dia estava totalmente entediada. No almoço, comi salada verde, um pouco de arroz e legumes no vapor e… na manteiga. Meu estômago reclamou. A idéia dessa desintoxicação é comer somente legumes e verduras e uma porção de fruta por dia. Arroz integral, só quando tiver que trabalhar, pra me dar energia. Muita água e sucos. O objetivo é limpar o corpo. Não que ele tenha sofrido excessos, mas na Tailândia mudei meus hábitos alimentares. Comi bastante farinha, açúcar, café e outras mil delícias. No mais, é sempre bom perceber qual é sua relação com a comida e eu estava com pensamentos repetitivos e não saudáveis, não estava presente. Num corpo tóxico, pensamentos tóxicos. Então comecei essa limpeza junto com Julianna e Hanna, que moram comigo. Cada uma estabeleceu um número de dias e maneiras diferentes de se alimentar.

Voltando ao dia 1, passei fome, apesar de poder comer o quanto quisesse. Levei cenouras e pimentão vermelho pra beliscar na escola e, antes do almoço, o tupperware já estava vazio. À tarde, antes de voltar pra casa, tentei comprar um suco verde na cantina da escola, mas eles estavam sem espinafre. O de tomate levava mel. Nada feito. Então, meia hora na moto com fome. Muita fome.

Chegando em casa, tomate e manjericão com uma pitada de sal marinho. As costas doíam da postura errada no trabalho e da mochila com computador e máquina fotográfica. Deitei na rede e, de olhos fechados, me veio uma sensação de útero. Chorei mais do que à tarde na escola, quando uma série de vídeos aleatórios no youtube me fez uma manteiga derretida.

Felizmente, depois do chororô, as meninas estavam se encaminhando pra aula de yoga restaurativa e me animei. A proposta da aula é ficar no mínimo 5 minutos em posturas sedativas, sem nenhum esforço corporal. A mente vai tentar fugir do presente e você vai trazê-la novamente para seu corpo e sua respiração. Hipoteticamente, no caso de ontem. Meus pensamentos obsessivos continuavam lá.

Saí da aula bem mais relaxada, andando e falando devagar, mesmo que minha mente não tenha dado trégua. Jantei brócolis e couve flor levemente cozidos no vapor e um pouco de arroz vermelho. Dormi bem, muito bem. Ainda chorosa e com fome, mas bem.

Acordei hoje ás 6 pra ir pro trabalho. Ai, sério? Levantei sonolenta à beça e sem fome. E qual não é minha surpresa quando, depois de quase três meses de ausência, minha menstruação resolve dar as caras? Quanta felicidade de saber que meu corpo entrou na onda detox e resolveu expelir tudo que não serve mais. Toda a choradeira dos últimos dias se explicou. Deitei na cama pra mais 5 minutos. Minhas pernas, geladas. Meu tronco, fervendo. Hoje vai ser um dia especial. Quero perceber as mudanças no meu humor e no meu corpo. Não vou pra escola.

Falo com meu chefe. Ok, sem problemas. Trabalharei de casa. Tudo que eu precisava fazer posso fazer daqui. Durmo até as 9. Depois de um pedaço de mamão, abro o computador, a pressão bem baixa. Checo como estão as coisas na escola. Como tomate com sal pra ver se a melhora. Posto na Bali Community no facebook perguntando se alguém tem um gravador digital pra vender. Recebo uma resposta positiva. Pesquiso pra uma matéria que está na minha cabeça. Sem vontade de mastigar. Chega meu litro e meio suco de beterraba com outras coisas mil. Bebo olhando pra piscina. Estou tomando um suco enquanto olho pra piscina. E isso é tudo que estou fazendo. Tomando um suco enquanto olho pra piscina. Assim que percebo que estou absolutamente presente no meu suco e no olhar pra piscina, minha mente tenta pensar em outra coisa. E rapidamente ela volta. Ela não quer pensar em outra coisa. Pela primeira vez em uma semana, sinto de verdade que tudo está onde, quando e como deve estar. Estou calma, movimentos suaves, pensamentos certeiros. O tempo passa rápido. Faço muito xixi. Medito antes de dormir, pedindo respostas. Elas vêm claramente. E com metas definidas: estabelecer um cronograma para minha escrita e comprar latas de lixo para fazer da reciclagem em casa um ato oficial.

Day 3

Que humor maravilhoso! Yoga é exatamente como preciso: calma e cheia de alongamento, sem muito senta e levanta. A pressão não iria agüentar. Meus tendões estão mais travados do que de costume, mas é só relaxar a mente que o alongamento vem. De café da manhã, depois da yoga, arroz com banana e maçã. Parece um terror, mas como “porridge” fica uma delícia. Porridge é um tipo de mingau, feito de arroz. Estou cheia de energia. O dia é produtivo. Latas de lixo: check. Pesquisa para 3 matérias: check. Almoço: 1 litro de suco verde e 1 litro de água de coco. Meus olhos estão vendo tudo com mais clareza, literal e não-literalmente. Mais do que vendo, estou enxergando. Para jantar, vou a um restaurante. Sopa de abóbora e salada verde. Na hora que seria a da sobremesa, fico nervosa pela primeira vez em 3 dias. O novo amigo ao lado pede um micro mini chocolate vivo. Quero ir embora logo. É muito difícil vê-lo se deliciando em três mordidas e não ficar com água na boca. Mudo minha atenção para toda a energia que acumulei nos últimos dias e como nenhum docinho poderia me trazer o mesmo prazer. Que água na boca o que! Isso é saliva. De volta pra casa. Não medito. Decido ver um documentário. São 20:48 de uma sexta a noite. Provavelmente vou adormecer antes da metade do filme.

Day 4 – Memórias póstumas

O humor não é dos melhores. Por isso, não escrevo. Estou passando fome e com uma vontade enorme de comeu queijo de cabra. Minhas pernas estão fracas e perdi músculos. Sem chance de ir à yoga. Passo o dia em casa, com facilidade em me focar e trabalhar. À noite, a melhor meditação dos últimos tempos. Clareza, respostas, visitas. Durmo com a certeza absoluta de que sim, estou no lugar e hora certos.

Detoxing

Day 5

Eu tinha decidido que iria até o dia 7. Até ver o prazer da Julianna quebrando o detox dela com uma omelete. Não tinha sentido tanta vontade de comer desde que comecei a limpeza. Ainda assim consegui continuar no processo. Pelo menos nessa refeição. Depois de uma expedição por áreas não exploradas dos arredores de Ubud, a tal omelete. Não só resisto como insisto pra ela pedir uma torta crua de cenoura, mesmo que eu não possa comer nem uma garfada. Em casa, tento trabalhar. Mas não dá. O site da AirAsia é muito tentador. E é aí que tenho a sensação que meu detox acabou, quando começo a pesquisar passagens de volta pra casa. Feliz de estar aqui, feliz de voltar. Feliz. Purificada. Clareza mental. Pele vibrante. Humor indescritível. Quem me via me perguntava onde achei essa droga em Bali. Sorrisos, gargalhadas, leveza. Decidir minha volta era o que meu “Eu Superior” esperava que eu fizesse com o corpo limpo. E assim o fiz. Meninas, quem topa um taco hoje á noite? Pulinhos de alegria pela casa, três mulheres recém saídas de um processo de limpeza, cada qual chegando, em seu tempo, em suas conclusões e finalizando e esclarecendo questões que estavam retidas nas toxinas. Adeus, toxinas, adeus, pensamento tóxicos! Seja bem vindo, taco!

Que delicia! Queijo! Feijão! Condimentos! Farinha… farinha? Interessante como seu corpo, depois de limpo, entende muito bem o que te faz bem ou não e estabelece uma comunicação clara com você. Sinto-me tão bem e limpa que não estou com desejo de açúcar, café, farinha, fritura, gordura. Sinto, sim, falta de proteína: ovos, queijo, nuts.

Recomendo pro corpo, mente e espírito! Mas com cuidado e acompanhamento. A Julianna é médica e acostumada a fazer esse tipo de limpeza. Nos deu suporte e segurança para passar esses dias com saúde. Então, nada de entrar numa de “vou emagrecer em 5 dias” e pirar em sucos! Fale com seu médico! E depois me conta como foi!

And having fun

Esse post foi publicado em na alma, na cabeça, no coração, no corpo e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Delícia de detox

  1. Iaci Lomonaco disse:

    hahaha figuraaa!!! quero um detox quando for hein!!! beijooo

  2. Paula disse:

    Muito legal! Teve uma época na qual fazia uma vez por semana dia de frutas (incluindo as oleaginosas, mas sem sal) e era bem produtivo… Só que eu senti que para fazer dia de frutas, é preciso também estar bem comigo mesma, para não me maltratar. Processos de purificação devem abranger a purificação mental, emocional, energética, além da física…
    Bhúta shuddhi é preciso!😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s